domingo, 22 de setembro de 2019
77 99111-1342
Política

22/05/2019 ás 07h27

262

Administrador

Licinio de Almeida / BA

‘Mais de 2 mil pedidos’: Decreto de Bolsonaro permite que qualquer cidadão compre fuzil
O valor da arma está entre R$ 8 mil e R$ 10 mil dependendo do ICMS de cada Estado.
‘Mais de 2 mil pedidos’: Decreto de Bolsonaro permite que qualquer cidadão compre fuzil
YouTube/Reprodução

O decreto das arma, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) permitirá que qualquer cidadão possa comprar um fuzil. A Taurus, empresa que fabrica e vende armas, informa que já são mais de “dois mil pedidos e que as armas estão prontas, só esperando a regulamentação do decreto e os consumidores consigam os documentos necessários para aquisição”.

A aquisição do fuzil se tornou possível com a nova classificação firmada pelos responsáveis pelo decreto. Agora, o fuzil T4, que é uma arma usada por militares e produzida no Brasil pela Taurus, está liberada para civis.
O valor da arma está entre R$ 8 mil e R$ 10 mil dependendo do ICMS de cada Estado.
Procurada pelo BHAZ, a Taurus informou que “tão logo a regulamentação do decreto nº 9.785 entre em vigor no país, imediatamente atenderá seus clientes, em até três dias após o cumprimento das exigências legais e administrativas”.

Quanto a comercialização do fuzil T4, “desejo de muitos Caçadores, Colecionadores e Atiradores (CACs), a Taurus esclarece que tem uma fila de mais de dois mil pedidos e que as armas estão prontas, só esperando a regulamentação do decreto e os consumidores consigam os documentos necessários para aquisição.

Armas permitidas antes do decreto: Revólveres, de calibre 32 e 38; Pistolas de calibre 380.

Armas permitidas após o decreto: Pistola de calibre ponto 40; Pistola nove milímetros; Pistola de calibre 45; Carabinas semiautomáticas; Fuzil T4.

“Esse decreto é ilegal e inconstitucional, acredito que não terá longevidade. É uma medida completamente absurda para a segurança pública”, explica Luis Flávio Sapori, ex-Secretário Adjunto de Segurança Pública do Estado de Minas.

“Ele [o decreto] cria condições para o crescimento de uma série de crimes no país, homicídios e tentativas. Em uma sociedade violenta como a brasileira, mais armas significa mais crimes”, completa Sapori, que também é professor de ciências sociais na PUC Minas.

FONTE: bhaz

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados