Sábado, 24 de agosto de 2019
77 99111-1342
Brasil

22/07/2019 ás 07h58

349

Administrador

Licinio de Almeida / BA

Cabeleireiro cai em armadilha e é agredido com barra de ferro em BH: ‘Meu agressor está solto’
A vítima foi socorrida para um hospital da região com uma fratura na mão direita e um ferimento na cabeça.
Cabeleireiro cai em armadilha e é agredido com barra de ferro em BH: ‘Meu agressor está solto’
Reprodução/StreetView + Reprodução/Arquivo Pessoal

Um homem de 30 anos foi espancado com uma barra de ferro no que acredita ser um caso motivado por homofobia. Tudo ocorreu na noite da última terça-feira (16), em uma casa na avenida Waldomiro Lobo, no bairro Guarani, na região Norte da capital. A vítima foi socorrida para um hospital da região com uma fratura na mão direita e um ferimento na cabeça.

De acordo com David Cristiano Andrade, a vítima das agressões, ele teria caído em uma armadilha antes de ser agredido com a barra de ferro. O autor do crime é um homem de 25 anos, que era vizinho de David e os dois colecionavam desentendimentos. Contudo, desta vez, as agressões seriam motivadas por homofobia, já que o agressor não aceita a orientação sexual de David.
Vítima e agressor moram em um lote onde a garagem das casas é compartilhada. “Ele sempre reclamava de tudo e ficava implicando comigo, com a maneira como eu paro meu carro etc”, conta David.

Na última terça, por volta das 20h30, a vítima estava em casa quando a luz acabou. Ele percebeu que alguém havia desligado o padrão de luz da residência e foi até a garagem para religar. No local, ele foi surpreendido com os golpes na cabeça.

Após as agressões, o homem de 25 anos acionou a Polícia Militar e confessou que agrediu David. Segundo ele, o rapaz estaria tendo relações com outros homens na garagem da casa, o que David nega. Ainda de acordo com o autor, ele tem duas filhas e sua família estaria incomodada com as ações da vítima.



David precisou ser socorrido com um ferimento na cabeça (Reprodução/Arquivo Pessoal)


Os militares conduziram o autor para uma delegacia da Polícia Civil e David foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Primeiro de Maio. No local, ele precisou de sete pontos para estancar uma ferida na cabeça e foi diagnosticado com uma fratura na mão direita. “Sou cabelereiro e dependo somente do meu trabalho para sobreviver, com minha mão machucada, não consigo trabalhar. Eu estou parado enquanto o meu agressor está solto”, diz David.
Ameaças

Em conversa com o BHAZ, David contou que o agressor mudou da residência na quarta-feira (17), um dia após a confusão. Contudo, o homem ligou para um parente de David e afirmou que pretende matá-lo.

“Ele ligou para o meu cunhado falando que o problema era comigo e com a minha mãe. Disse ainda que voltaria para me matar. Ele afirma que eu o agredi, mas é mentira, eu nunca encostei nele, nunca dei motivos para a briga”, conta.

O BHAZ tentou contato com o homem que agrediu o cabeleireiro, mas nenhuma das ligações foi atendida.
Histórico agressivo

O homem que agrediu David tem um histórico agressivo. De acordo com a Polícia Militar, no dia 26 de junho, ele agrediu a ex-mulher, de 26 anos, e a própria filha de 11 anos.

O agressor estaria inconformado com o fim do relacionamento e teria invadido a casa da mulher. A criança sofreu um corte na mão direita por conta das agressões.

FONTE: bhaz

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados